Uma das preocupações dos pais é o sono infantil, por diversos motivos esse assunto é discutido: por medo de atrapalhar o desenvolvimento da criança, por cansaço extremo da família, por cansaço da criança….e nada melhor do que uma especialista em sono infantil para falar desse assunto.
Convidei a Juliana Simão, consultora do sono, para explicar um pouco sobre a importância do sono para as crianças. Ela também ministrará um workshop sobre esse assunto no dia 14 de abril de 2018, fiquem atentos!

De acordo com a Juliana:

O sono é um dos grandes desafios da maternidade, são poucos os bebês que conseguem dormir bem desde o primeiro dia de vida e os pais se sentem (além de muito cansados) reféns desta situação, trazendo para si a culpa de estarem fazendo tudo errado.

Geralmente, as principais queixas dos pais são:

  • Meu filho demora muito para dormir;
  • Acorda muito cedo;
  • Acorda com frequência durante a noite;
  • Não tiram sonecas de dia ou quando fazem, são muito curtas.

Quando o bebê tem um sono restaurador, ele processa tudo o que aprendeu durante o dia, como mexer as mãos, engatinhar, dar tchauzinho, mandar beijos, balbuciar e até mesmo chorar. E é no sono que todo este aprendizado é organizado e contribui para o seu desenvolvimento.

Sem um sono restaurador e com eficiência, alguns aprendizados podem se perder, fazendo com que ele não encontre o que é necessário para utilizar naquela fase do seu desenvolvimento.

No sono restaurador ocorrem vários processamentos onde há a fabricação de hormônios muito importantes para o corpo, sendo eles:


  • GH – Hormônio do Sono

Na infância cerca de 90% do hormônio do crescimento é liberado durante o sono e as crianças que tem dificuldade para dormir têm mais chance de ter problemas no seu desenvolvimento físico.

Ele é responsável não só pelo crescimento da criança, mas também ajuda a manter tônus muscular, evita o acúmulo de gordura e a fragilidade dos ossos, dando mais disposição.

O GH é liberado nos ciclos 3 e 4 no sono profundo e para ser liberado no início da manhã, seu pico é entre 23:00 e 24:30.


  • Melatonina

É um neuro-hormônio ligado à regulação do sono.

A melatonina é produzida pela glândula pineal, localizada no centro do cérebro (atrás dos olhos). Essa glândula participa da organização dos ritmos biológicos, atuando na resposta do organismo em relação ás mudanças do ambiente (ciclo dia / noite ou claro, escuro).

Para que a Melatonia seja produzida é fundamental um ambiente escuro, por isso sua maior liberação ocorre no período noturno.


  • TSH

Esse é um hormônio que é liberado pela hipófise, que age estimulando a glândula tireoide na produção de dois hormônios, a triodotironina (T3) e tiroxina (T4), responsáveis pela regulação do metabolismo ao transformar nutrientes em energia.

Seu pico de liberação ocorre no início do sono.

Crianças que apresentam dificuldade em adormecer podem ter alterações na liberação do TSH.


  • Cortisol

O cortisol é o nosso despertador e tem seu pico de liberação de manhã.

Quando não dormimos, o seu ritmo é alterado e pode gerar efeitos semelhantes ao estresse e ansiedade.

O fato do bebê se comunicar através do choro, essa ansiedade se torna um stress significativo no dia a dia da família. Ou seja, quando um bebê apresenta sentimento de raiva ou cansaço extremo durante o dia tem mais stress na hora de dormir, fazendo com que seu nível de adrenalina (energia) chegue mais alto ainda durante a noite e assim o sono não será restaurador.

Querem saber mais? Entrem em contato com a Ju pelos canais:
http://www.alegriamaterna.com.br
email: juliana@alegriamaterna.com.br

E não perca o workshop com ela!

Deixe seu Comentário

comentários