Por que existem?

Parece que é para já começar o teste cardíaco nos pais e ver o quanto eles aguentam ver o filho chorar, só que não! Brincadeiras a parte as cólicas são naturais até o 3º/4ºmês de vida dos bebês; é uma adaptação necessária que o organismo “sofre” até amadurecer todo o sistema digestório do recém-nascido.
Após o 4º mês de vida (com o fim da extero-gestação) o cérebro e o intestino já se entendem melhor, além da flora intestinal estar formada. Existem situações em que essas cólicas não são naturais (refluxo, doenças intestinais, alergia a proteína do leite de vaca) aí a dieta da mãe precisa ser ajustada (como já comentei no vídeo sobre alimentação materna e amamentação https://youtu.be/aL42Zp1CJmE).

Como identificá-las e diferenciá-las?

A principal dúvida que ouço é “Bruna como sei se o choro é de fome ou cólica?”
A primeira forma de identificar a cólica é pelo choro estridente, ou seja, mais alto que o normal, forte e de difícil acalanto (difícil de acalmar). Normalmente você já tentou de tudo e nada resolve, nem aquele colo favorito (importante lembrar que cólica não tem hora pra acontecer, A Hora das Bruxas).
A barriga do bebê fica dura, gases são eliminados (puns, peidos), as perninhas não param e o rosto tem características de dor (sofrência).

O que fazer?

A primeira coisa é tentar manter a calma, não esqueçam que a forma de comunicação entre vocês e o bebê é pela energia, dessa forma, família calma = bebê calmo (https://youtu.be/X9hCCxBsfa0).
Esquente a barriga do bebê colocando em contato com a sua ou utilizando bolsa de sementes, bolsa de água/gel ou fraldinha de pano passada a ferro. Muito colo será necessário! Fora dos picos de dor massagem abdominal no sentido horário (sentido do fluxo do cocô), dobrar e estender as perninhas sobre o tórax, simular o pedalar de uma bicicleta, também são medidas que ajudam. Se a criança criança não gritar ainda mais no pico da dor enquanto você faz a massagem, então ela também pode ser utilizada.
Banhos de ofurô e Shantala costumam ajudar no início da dor ou no término.
Em último caso analgésicos podem ser utilizados se estiverem prescritos pelo seu pediatra.

Novidades

Os probióticos em doses complementares (visto que o leite materno é rico neles) têm sido de grande ajuda na melhora da flora intestinal e diminuição das cólicas, porém não é para sair usando leite fermentado, são produtos específicos para os recém-nascidos. E também não adianta para de tomar antes dos 4 meses de vida só porque a cólica melhorou.
Converse com seu pediatra e assessora materna para sanar as dúvidas.

Ainda não se inscreveu no Canal do Youtube?Então, está perdendo vários vídeos! http://bit.ly/YTubemae

 

curso gestante online

Deixe seu Comentário

comentários