Introdução

Que a amamentação tem suas diversas fases, acredito que muita gente já saiba.
Durante a gestação vem o medo da dor, o medo de não ter leite, o medo de não conseguir amamentar. Após o nascimento, vem a dúvida se o leite é suficiente, se você está fazendo tudo certo e nutrindo adequadamente seu bebê. Conforme seu bebê vai crescendo outras demandas vão surgindo: introdução alimentar, por exemplo, e desmame.

Amamentar

Esse ato não é apenas de nutrir, não é produzir leite e transferir o melhor alimento do mundo, é um ato de amor, de criação de vínculo, ato de dar prazer ao seu bebê, mostrar que existe local seguro no mundo, ajudá-lo em seu desenvolvimento psíquico, entre outras mil características positivas para o crescimento do seu bebê.

Desmame Adrupto

Em termos de desenvolvimento, um desmame antes de 2 anos de idade é considerado precoce, visto que o bebê ainda precisa mamar, ainda está em processo de individualização, ainda está na fase oral, os benefícios são muitos, enquanto que a troca por objetos para saciar a necessidade oral não apresenta vantagem alguma.¹

E pior do que desmamar antes de 2 anos é fazê-lo de uma maneira abrupta, ou seja, de uma hora para outra por meio de medidas drásticas, como: falar que acabou o leite e não dar mais o seio, colocar adesivos sinalizando machucados, passar pimenta ou óleos no seio para modificar o gosto.

Essas medidas têm consequências ruins tanto para a mãe quanto para o filho. Na mãe, esse encerramento repentino na amamentação pode resultar em ingurgitamento mamário, bloqueio de ducto lactífero e mastite, alterações hormonais, além de sentimentos de tristeza ou depressão. No filho, a desolação pode fazer com ele sinta-se rejeitado, podendo causar trauma emocional.

“As consequências para o cérebro em desenvolvimento de um bebê que é submetido a mudanças permanentes e abruptas, com interferência de estranhos, choro sem consolo, negação de afeto e violência emocional podem ser drásticas”.²

Desmame Gradual

São três elementos a serem considerados de grande importância na amamentação e que devem caminhar juntos no período de desmame: nutrição, afeto e comunicação.
Desmame Gradual é o desmame natural, em acordo entre mãe-filho, em um tempo e ritmo próprio, um período da vida da mãe e do filho em eles aprendem sobre outros alimentos, sobre aconchego e a se comunicarem de uma maneira nova, que não com os seios.
Quando a nutrição, o afeto e a comunicação estiverem plenamente supridos sem a amamentação num processo de autonomia e maturidade vindo da criança, um desmame gradual pode ser promovido.
Isso significa que todos os envolvidos no processo devem estar prontos para o desmame, sem que seja uma imposição de familiares, amigos e médicos!

 

¹,² Andréia C. K. Mortensen. Grupo Virtual de Amamentação. Diga não ao desmame abrupto.  http://grupovirtualdeamamentacao.blogspot.com.br/2015/01/diga-nao-ao-desmame-abrupto.html

Deixe seu Comentário

comentários