Introdução

A tireóide é nossa glândula endócrina, situada na frente da laringe, responsável pela secreção dos hormônios tireoídeos e sob controle da hipófise.
Durante a gravidez, esses hormônios devem ser acompanhados a cada trimestre para investigar possíveis alterações gravídicas, visto que esses hormônios produzidos pela tireóide são fundamentais para o desenvolvimento e crescimento do feto.
O hipotireoidismo é quando a tireóide não produz hormônios em quantidade suficiente para suprir a necessidade do organismo.
Como todos sabemos, mesmo que por dedução, esse período da gravidez é um bum hormonal e o pós-parto outra montanha russa pela oscilação hormonal, é natural então que eles tenham sua parcela “de culpa” na amamentação.

Hipotiroidismo X Amamentação

O início da amamentação acontece de maneira endócrina, ou seja hormonal, com a saída da placenta após o parto, ela avisa o organismo que o bebê está no mundo e que o corpo da mãe precisa organizar seus hormônios para alimentá-lo (temos dois hormônios com participação direta na produção de leite: prolactina e ocitocina).
Dessa forma, desde 2017 o Guideline* de Diagnósticos e Condutas de Doenças da Tireóide na Gravidez e Pós-Parto ¹ sugere que há interferência na amamentação em hipotireoidismo moderados e severos, porém ainda há poucas evidências científicas para bater o martelo (são necessários estudos mais amplos), a experiência de atendimentos das consultoras de amamentação, no entanto, têm mostrado que o hipotireoidismo tem interferência direta na produção. Falta agora a ciência dar qualidade a essas informações.
A recomendação é que durante o período de gestação todas as mulheres, sabidamente ou não com alterações de tireóide, sejam acompanhadas com exames laboratoriais.
E que no pós-parto a cada 8 semanas as puérperas com hipo ou hiperteroidismo realizem o acompanhamento laboratorial.
O Guideline indica, também, que todas as mulheres com depressão pós-parto devem ser analisadas quanto ao hipotireoidismo. Você ainda continua achando que essa pequena glândula não sabe fazer estragos?? São mais de 2 milhões de diagnosticados a cada ano.

Procure sempre uma consultora em amamentação, ela poderá direcionar as condutas para manter produção de leite, em parceria com seu endócrino não há como você não conseguir amamentar, mas fica o alerta!

Deixe seu Comentário

comentários