Frequentemente quando faço atendimento às famílias na maternidade – com 24 horas de vida do bebê – eu escuto: “ele (a) é tão bonzinho (a), só dorme e não reclama para nada”.
A minha primeira reação é sempre pensar: calma que você não sabe de nada rs! Logo eu explico o comportamento inicial dos bebês as nascer…

Explicando

Quando os bebês nascem (nascem e não são nascidos com data e hora marcada) eles têm uma descarga de adrenalina que os deixa acordados por aproximadamente 4 horas e depois as próximas 20h eles dormem (vem daí a ilusão de que eles não reclamam de nada). Porém, após essas primeiras 24h o bebê acorda para a vida e chora porque quer a mãe, chora porque a barriga dói de fome, chora porque a fralda incomoda, chora porque está muito silêncio, chora porque o carrinho ao lado da cama não é o colo…esse distânciamento da mãe não acontece até que eles completem aproximadamente 4 meses (já falei sobre a exterogestação aqui no blog Mal Acostumado que é quando o bebê precisa continuar sendo gerado/gestado fora do útero e não consegue se perceber como um ser diferente da mãe).
Outra adaptação que o bebê precisa fazer à noite fora do útero é se acostumar com o escuro profundo, com o silêncio e com o espaço do berço/moisés/carrinho…você já parou para pensar que dentro do útero eles estavam em um ambiente úmido, com barulho 24h, sendo alimentado pelo cordão umbilical 24h e aconchegado? Ele vai entender como funciona o ambiente externo, mas acabará “trocando o dia pela noite” nos primeiros dias de vida, quanto mais acolhermos esses bebês, mais rápido eles entendem.

Já as crianças maiores, que não são mais recém-nascidos, tem seus momentos de acordar à noite: picos de crescimento (precisam comer o tempo todo), saltos no desenvolvimento (precisam entender essa habilidade nova que foi adquirida), fome, solicitar a presença da mãe, alterações de rotina (início da escola, desfralde, doença, desmame…).
Como você vai saber interpretar tudo isso? Sabendo o que é normal no desenvolvimento infantil, tendo paciência, respeitando seu bebê…e se precisar de ajuda profissional sempre há uma assessora materna para te auxiliar!

Não esqueça do nosso curso online com módulo sobre os cuidados com o bebê! Acesse e confira

Deixe seu Comentário

comentários