Pré Eclampsia

A doença

A pré-eclâmpsia ou doença hipertensiva específica da gravidez (DHEG) é hoje uma das maiores morbimortalidade materna e fetal, ou seja, interfere na saúde da mãe (pressão alta, proteína na urina, dores de cabeça) e consequentemente prejudicam o desenvolvimento do feto, podendo causar abortos.

As desordens em todo o corpo da mãe começam a aparecer a partir da 20ª semana de gestação, dessa forma o acompanhamento pré-natal é importantíssimo para a detecção de possíveis complicações e acompanhamento rigoroso dessa gestante, visto que a pressão alta (hipertensão) por si só já é um agravante.¹

Tem tratamento?

O tratamento consiste em uso de anticoagulantes, anti-hipertensivos, repouso, carinho e atenção. Pois essa gestante precisa estar confiante e segura que seu acompanhamento está sendo feito de maneira adequada, já que o seu estado emocional também interfere no controle dos picos hipertensivos. E ela e toda família devem ficar cientes de que a DHEG é grave se não tratada e não acompanhada, que seu filho corre o risco de nascer prematuro, com baixo peso ou vir a falecer intra útero ainda.

A dica da Mãe Coruja é estar atenta aos edemas apresentados ao longo da gestação, espuma na urina, dores de cabeça, principalmente se você já tiver mais de 30 anos. Vamos diminuir o número de complicações pós-parto e óbitos fetais divulgando informação e buscando serviços de saúde!

¹Silva EF et al. Percepções de um grupo de mulheres sobre a doença hipertensiva específica da gravidez. Rer Gaúcha de Enferm. (online) 2011; 32(2).

Deixe seu Comentário

comentários