O que é?

É quando o alimento volta do estômago para o esôfago. No primeiro ano de vida o refluxo é fisiológico, ou seja, comum, pois o sistema digestório está em desenvolvimento, tentando se ajustar em todas as funções.
Portanto, o mecanismo que devolve o alimento do esôfago para o estômago ainda está treinando sua habilidade. A válvula, que faz a passagem da comida de um órgão para o outro (o esfíncter do esôfago), fica mais tempo relaxada e facilita o retorno do que foi ingerido.

refluxo

Observação

O refluxo apesar de fisiológico até o primeiro ano de vida é mais observado em recém-nascidos pré-termos, prematuros, do que em bebês de termo, obviamente pela imaturidade do sistema digestório.
Uma outra observação que deve ser feita é que bebês que entram em trabalho de parto apresentam menos sinais e sintomas, visto que, como já foi dito diversas vezes, o refluxo está associado a imaturidade do sistema digestório, dessa forma, recém-nascidos que entram em trabalho de parto estão, teoricamente, mais “maduros”.
Outros fatores como a alimentação do bebê também interferem e prejudicam esse desenvolvimento sadio do sistema digestório.
Por mais incrível que possa parecer ainda existem pessoas que ofertam leite de vaca ao bebê, leite artificial (mesmo aqueles que dizem ser próprios para recém-nascido) também é outro agressor.

Sinais e sintomas

De acordo com os gastroenterologistas da Sociedade Brasileira de Pediatria, o refluxo fisiológico (vomitar) passa a ser preocupante quando o bebê não ganha ou perde peso, chora muito, é irritado, recusa alimentos e apresenta vômitos com sangue.
Os vômitos normalmente acontecem logo após alimentar-se.

Observação

Tenho observado que o refluxo nos países mais desenvolvidos está atrelado a prematuridade do bebê em uma escala muito maior que os bebês de termo. Claro, que essa observação e o comentário que farei em seguida não tem comprovação científica, ainda, porém vem em ascendência: como o Brasil é um país cesarista e adora um leite artificial, os problemas gástricos me parecem ser mais frequentes inclusive em bebês de termo.

Tratamento

O tratamento é realizado com antiácidos (protetores gástricos) e exames diagnósticos.
O bebê terá que ficar sempre mais elevado evitando engasgos. Com o desenvolvimento infantil o refluxo tende a diminuir.
De qualquer forma, é muito importante a conversa com seu pediatra e a confiança em suas ações.
Quer saber mais sobre cuidados com seu bebê? Participe dos cursos da Mãe Coruja

Deixe seu Comentário

comentários