A dificuldade do início

O meu trabalho como assessora começou por conta dessa dificuldade. Quando você pensa em engravidar, ter filhos, normalmente você pensa em coisas boas, algumas dificuldades, ou melhor, apreensões e dúvidas em relação ao trabalho de parto, mas que a cesárea tornou-se um recurso para isso.

Ultimamente fala-se mais da amamentação e de seus benefícios, existe uma semana mundial para promover a oferta de leite materno e melhorar a saúde e desenvolvimento do bebê (tem um artigo legal sobre o desenvolvimento infantil e o risco de desmame Desenvolvimento infantil e desmame precoce). No entanto, pouco se fala do quanto esse processo de tornar-se mãe e amamentar é DIFÍCIL, ninguém conta que não é como nas novelas que o bebê nasce e vai sugando corretamente.

O mundo fora do útero

Reflexo de sucção eles têm, porém fazer a pega correta, sucção com força adequada, respirar, sugar e deglutir nem sempre são tão simples quanto parece.

É um momento de descobertas, de interações que antes só aconteciam intra-útero, de aprendizado constante, tanto do seu bebê quanto seu.

Prestar atenção na posição do corpo, na posição da boca, na posição da língua, nos barulhos….são tantos detalhes que parecem que vamos pirar, pois ainda existe a sua própria pressão para que seja a boa mãe que amamenta e que não desiste! É tanta gente da família para dar palpite que não sabe a quem seguir e quem ouvir.

A maternidade real

Ultimamente atrizes como Taina Muller e Deborah Secco deram seus depoimentos sobre o início conturbado da amamentação, justamente por não terem conhecimento claro sobre o quanto é difícil, a dor do início, o quanto as gengivas parecem ter dentes, as fissuras no mamilo… E elas mesmas também relatam o quanto a ajuda de especialistas fizeram toda a diferença (artigo sobre o que faz uma assessora em amamentação O que é assessoria materna?).

De acordo com a Unicef amamentar “Não é automático queridas, a mãe e o bebê por vezes precisam aprender sobre a amamentação para conseguir. Precisam de apoio, de incentivo, de ajuda, de informação, de cuidados… Precisam de médicos atualizados que não as confundam e cumpram seu papel seguindo as recomendações, precisam de consultoras de aleitamento para que elas resolvam questões e dificuldades com a amamentação. A mãe precisa de todo um entorno ao seu redor que facilite e apoie a amamentação para conseguir, não depende apenas dela.”

E lá vamos nós…

Calma, respira e relaxa, viu, você não é a única a ter dificuldades! Todas passam por isso, porém você não precisa passar sozinha, há pessoas preparadas para te ajudar, te orientar e fazer desse momento um mix de prazer e satisfação, momentos únicos de interações de amor entre você e seu bebê.

E se por ventura a amamentação não der certo para você, TUDO BEM! Você não será menos mãe por isso, não será menos digna por isso!!

Deixe seu Comentário

comentários