O desabafo de uma Mãe Coruja que não é mãe ainda!

O desabafo de uma Mãe Coruja que não é mãe

Viva fora da caixa!

Nunca gostei de ser igual a todo mundo, sempre quis viver fora da caixa, a minha maneira e da forma como achava correta. Entre erros e acertos, tombos e solavancos fui aprendendo a observar muito mais do que falar, engolir e não deixar transparecer; errei muito dessa forma, porém aprendi o dobro, pois fiz escolhas próprias das quais jamais me arrependerei.

Foi dessa forma que aprendi que observar nos faz errar menos, visto que há quem erre por nós.

Aprender…

Foi dessa forma que aprendi que a intuição conta muito, pois sempre há uma espiritualidade por perto. Foi dessa forma que aprendi a ser grata por coisas “ruins” e boas; já que as nossas dificuldades são nossas bênçãos.

E ultimamente aprendi uma lição preciosa que transmitirei como jóia a (0) minha (meu) filha (o): SAIA DA SUA ZONA DE CONFORTO! Engraçado que a maioria de nós fazia isso quando criança. Eu, particularmente, sempre estive a frente das idéias de dança, festas, trabalhos…éramos tão criativos e em que fase da vida nos perdemos??

Ultrapassado!

Modelos escolares ultrapassados, com foco decorativo para o vestibular. Mas e a vida? E a felicidade? Quem foi que disse que um emprego, carro e casa são modelos de vida? E nossos valores?

Eu quero mais! Porém, acima de tudo, quero que todos a minha volta queiram mais: quero amor, Luz, paciência, compaixão, caridade, felicidade, paixão, saúde, dinheiro, sim dinheiro, por que não? Contudo, o dinheiro investido e gerando ativos (lucros) para minha família e não dividendos (gastos).

E se não puder ter nada disso, quero apenas minhas consciência tranquila de que eu fiz mais do que a minha parte! E que dentro da minha parte eu transmite todo o amor do mundo a uma nova vida que um dia chegará aqui para evoluir e ser melhor do que eu fui!

Deixe seu Comentário

comentários